Diários de Uma Feminista. Tecnologia do Blogger.

Atividade de casa não é ''coisa de mulher'': trabalho doméstico a gente faz com as mãos, não com a genitália


Toda vez que eu escuto que ''Homem não foi feito para atividades de casa'' e que "Trabalho doméstico é coisa mulher'' eu imagino a seguinte cena: a mulher pede ao marido para ajudá-la nos afazeres domésticos, ele então tira a roupa e sai lavando a louça com o pinto, varrendo a casa com o pinto, cozinhando com o pinto e tirando o lixo com o pinto. De tanto usar o pinto, ele fica sem, então ela percebe que ele não foi feito para atividades de casa e volta a fazer tudo sozinha com sua buceta. E segue ela lavando a louça com a buceta, varrendo a casa com a buceta, cozinhando com a buceta... ao contrário do companheiro, a genitália dela milagrosamente não cai, talvez por não ser frágil ou pendurada. Vai saber.

Só queria que esse último semestre de 1666 acabasse logo. Mas enquanto ele não tem fim, vamos refletir. E vamos tirar um pouquinho do nosso tempo para fazer os outros ao nosso redor refletirem também sobre esses papéis sexistas e machistas ainda tão cristalizados e que não fazem mais sentido de ser atualmente. Não vamos mais ignorar discursos assim, nem práticas assim em nossas casas. 

Meninas devem aprender a cozinhar não pensando em casamentos, mas no fato de que um dia elas mesmas precisarão fazer a própria alimentação, o mesmo para os meninos. Já imaginou que loucura o garoto crescer e não saber fritar um ovo, fazer um café, lavar uma louça? Ficar sempre esperando que uma mulher lhe entregue tudo nas mãos, dessa forma, quando chegar a hora de casar, se ele quiser casar, ele procurará uma empregada, não uma esposa. Aliás, nos criam exatamente para isso: para sermos empregadas de machos. O menino vai jogar bola enquanto a menina faz a refeição com a mãe, após o almoço o menino vai assistir TV com o pai enquanto a menina tira a mesa com a mãe e a ajuda enxaguando os pratos. O mesmo na janta. O mesmo no café da manhã. Um dia a mãe falta, quem será a responsável pela casa? A menina, a mulher. Ele tem mais tempo para se divertir, para estudar, ela não. Mas todos comem. Todos precisam de roupas limpas. Todos gostam de uma casa bem cuidada. E todos podem ter tarefas semelhantes ou adequadas a sua idade e ocupação.

Atividades de casa não é ''coisa de mulher'': trabalho doméstico a gente faz com as mãos, não com a buceta. Atividades de casa é coisa de quem mora na casa, a obrigação deve ser de todos. E não se trata de ajuda em si, mas de divisão. Assim como cuidar dos filhos. Quem tem a obrigação é quem fez, ou seja, ambos os companheiros, não só a mulher. A ética, o caráter, a sensibilidade, a empatia, a educação, é dever dos pais, não só da mãe. E tais valores devem ser igualitários para ambos os gêneros. Nada de ensinar as meninas a ''se preservarem'' e aos meninos que eles são como ''bodes que perseguem as cabritas'' ("prendam suas cabritas que meu bode está solto"). Animalizam até a sexualidade dos machos. É ridículo isso. É ridículo também incentivar carreeiras dispares aos filhos com intenções sexistas baseadas em papéis de gênero estereotipados do tipo meninos são mais racionais, devem seguir careiras mais contempladas pelas ciências exatas, já asa meninas são mais subjetivas, emocionais, são mais adequadas a seguirem careiras moldadas pelas humanas... E depois reclamam da falta de mulheres na matemática, física, etc.

É de casa que essa prática sexista machista tem que mudar, é na educação dada as crianças. Meninas e meninos desde cedo têm que aprender a viverem em harmonia e equidade, para assim socialmente seus comportamentos não serem tão desiguais.


Lizandra Souza.