Diários de Uma Feminista. Tecnologia do Blogger.

"Eu levo cicatrizes em meu corpo", diz mulher após ver agressor virar 'herói' em manifestação feminista

Um caso recente de feminicídio na Argentina, no qual uma adolescente de 16 anos foi drogada, estuprada, empalada e assassinada por no mínimo três homens, foi o estopim para que mulheres participantes de coletivos feministas convocassem/organizassem protestos em várias cidades da América Latina, para pedir o fim da violência contra a mulher. 

Em meio aos protestos, convocados, liderados e lotados por mulheres, um homem ganhou visibilidade por conta de um cartaz que segurava: "Eu estou seminu, rodeado pelo sexo oposto, e eu me sinto protegido, não intimidado. Eu quero o mesmo para elas". Por conta do discurso "desconstruidão" o registro da participação do "feministo" viralizou nas redes sociais. Ele recebeu elogios de milhares de pessoas por estar sem camisa na rua e segurando um ''cartaz feminista''. Enquanto isso, com as mulheres da "Marcha das vadias"... vocês já sabem os discursos!



O que muitas pessoas não imaginavam é que o "herói" das mulheres, o desconstruidão da porra toda, aquele que virou líder dos movimentos feministas de tanto ser ovacionado, Felipe Garrido, tem uma história de violência contra a mulher nas costas.

Sua ex-companheira, Francesca Palma, após ver o ex-agressor ser elogiado nas redes sociais, desabafou em sua conta no Facebook

"Eu sou mãe da filha que nasceu da relação com este indivíduo, que diz defender nossos direitos e que, por anos, destruiu a vida da minha filha e a minha. Levo cicatrizes em meu corpo e em minha memória, ainda que ele não se importe que sua filha tenha que comer, que tenha estudos, que tenha saúde. Esse mesmo homem que não paga a pensão, que descadastrou sua filha do Isapre [sistema privado de seguros de saúde do Chile] sem avisar, que provocou a depressão que afetou minha filha por muitos anos por culpa do mal-trato psicológico que lhe deu. Sem ir mais adiante, ontem era dia de visita, e ele mandou uma mensagem dizendo que não poderia buscá-la porque teria que trabalhar, agora todos sabemos que era para ir para a marcha, não para o trabalho. Ele desapareceu por um ano, logo chegou dizendo que eu não o deixava ver sua filha, tentando me mandar para a cadeia várias vezes. Os tribunais não lhe deram esse prazer, e nos mandaram para terapia, da qual ele nunca participou. Ele segue prejudicando minha filha, inclusive fazendo com que ela durma no chão ou em um colchão inflável enquanto ele dorme na cama. Por favor, compartilhem e não acreditem em tudo o que veem.".

Ao El Desconcierto, Francesca contou que conheceu Felipe aos 15 anos, os dois começaram uma relação e ela ficou grávida aos 19, o que motivou eles a morarem juntos, apesar de seus pais serem contra, pelo homem não trabalhar. "Sempre cortavam a luz do apartamento. A pessoa que nos ajudava a cuidar da bebê é testemunha de tudo isso. Ali começaram as brigas, porque eu estava cansada de mantê-lo, já que ele não trabalhava. Uma vez ele jogou um prato contra mim e rompeu meu tendão, tenho uma cicatriz no pé...", disse a mulher.

Não é de hoje que muitos homens se passam por desconstruídos somente para roubarem protagonismo dentro do movimento feminista e para "pegarem'' mulher. Eu não confio no apoio de machos que querem aparecer mais que as mulheres dentro do movimento, eu não confio em machos que se dizem feministas, porque, na minha visão, eles são piores que os que se dizem "machistas em desconstrução", pois silenciam mulheres dentro e fora do feminismo, enquanto os que alegam estarem em desconstrução, em geral, sabem seu lugar de fala, pois admitem o próprio machismo. Eu, em geral, não confio em macho. E tenho todas as razões do mundo para isso. 

E você, macho que se diz feminista e que está lendo esse post, acha que não é machista porque nunca estuprou ou assassinou nenhuma mulher, mas já agrediu física, verbal, psicológica e emocionalmente; assediou, humilhou, maltratou, inferiorizou, silenciou, subordinou, censurou... 

Não abre mão do pornozão... acha que homem tem que ganhar mais mesmo, homem é homem né? acha que o empregador pode escolher não contratar mulheres porque mulheres (cis) engravidam (com o dedo?)... acha graça de piadas machistas feitas pelos amiguinhos na mesa de bar... é só uma piada, tem que levar na esportiva... passa a mão na cabeça do coleguinha de trabalho que vive assediando as colegas... acha que a mulher que veste roupa curta é vadia e se sente no direito de cagar regra na vida da companheira... 

Legitima assédio dizendo que cantada de rua é arte... arte que nenhum gay pode praticar com ele! Diz que nada justifica estupro, mas problematiza o tamanho da roupa das vítimas, onde elas estavam, o horário etc. O que aquela vadia estava fazendo naquele lugar? Aquela hora? Com aquele(s) cara(s)? Quem mandou usar aquela roupa curta? Quem mandou sair de casa? Foi estuprada em casa? Alguma coisa deve ter feito, se insinuou? 

Não é machista, mas é.
Lizandra Souza.

1 comentários:

  1. ''Não abre mão do pornozão'', mulher não assiste porno ? vocês sãos ridículas

    ResponderExcluir

Feminismo é a ideia radical de que mulheres são gente!